Cãezinhos são trocados em pet shop e famílias só descobrem dois anos depois!!

Animais de estimação às vezes são a parte mais vulnerável de uma família. Fiéis e amorosos, estes companheiros ficam em desvantagem em qualquer situação, pelo simples fato de não poderem falar e embora procurem se comunicar de outra forma, muitas vezes os seus donos não os compreendem.

Foi o que aconteceu com dois cãezinhos que foram entregues por engano a diferentes famílias, após uma visita ao pet shop para banho e tosa.

Mesmo com os animais dando sinais de que alguma coisa estava errada, seus donos só descobriram a verdade dois anos depois.

Os dois peludos chamados Rollo e Coco, passaram dois anos nas casas erradas, depois que foram trocados em um pet shop, em Melbourne, Austrália. Sara Maclean trouxe seu cachorrinho Rollo para o Petarazzi Groomer, pet shop em Thornbury.

Nesse mesmo dia, Coco foi deixado na mesma sala de banho, por sua dona Maria. Os dois animaizinhos de estimação foram trazidos para um banho e a tosa dos pelos.

As circunstâncias em que a mudança ocorreu são desconhecidas, mas os animais foram dados às famílias erradas.

À esquerda, o cãozinho chamado Coco e à direita, o pequenino Rollo.

Quando dona Maria foi buscar Coco, ela recebeu o cãozinho chamado Rollo e, por sua vez, Sarah Maclean, que foi buscar Rollo,  recebeu o Coco, no lugar do seu peludinho.

A mulher perguntou ao cabeleireiro se aquele era seu animal de estimação, ao notar algumas diferenças.

Porém, o “profissional” insistia que as mudanças se deviam ao corte dos pelos, e que era normal o cachorrinho estranhar um pouco. Sem ter muita certeza do assunto, a mulher levou o animal para casa.

Sempre achei que ele estava um pouco diferente quando o peguei, porque tinha passado por um processo de tosa, de um pelo comprido para um curto, poderia deixá-lo com o comportamento estranho mesmo“, disse Sarah. “Eu fiquei um pouco desconfiada e perguntei ao tratador ‘você tem certeza que este é o nosso cachorro?’ e ele disse ‘sim, é'”, concluiu a mulher.

Ao voltar para casa, as duas famílias notaram atitudes estranhas nos animais, mas nenhuma delas poderia pensar que os animais haviam sido trocados.

Percebi imediatamente que algo estava errado porque o cachorro não entrou pela porta da cozinha. Continuei chamando por ele, mas ele ficou sentado ali, por cerca de uma hora. Ele nem se mexeu, apenas olhava para mim “, disse Maria.

Infelizmente, na casa de Sarah Maclean, Coco, o cachorro de Maria, que foi trocado por Rollo, adoeceu.

Na verdade, no dia da troca, o tosador avisou a mulher sobre uma infecção feia que o animal tinha no ouvido.

Ao passar por uma avaliação médica, Sarah soube que Rollo, que na verdade era Coco, tinha um tumor no cérebro e decidiram aplicar uma injeção para eutanasiá-lo, após algumas longas semanas, sofrendo de convulsões.

A família Maclean justificou algumas mudanças no animal, como a cor do nariz e seu comportamento distante, em relação à família, devido à sua doença.

O pobre Rollo mal conseguia ficar de pé e seus ataques recorriam com frequência. Por isso, a família decidiu parar seu sofrimento e colocá-lo para dormir.

Dessa forma, a preocupação com a identidade do animal passou para segundo plano.

A verdade sobre a troca dos cãezinhos veio à tona depois de dois anos.

Na véspera de Ano Novo, Coco escapou da casa de Maria, fugindo dos fogos de artifício. Quando foi encontrado por uma ONG local, foi possível comprovar, graças ao microchip, que o peludinho não era realmente Coco e que Maria não era sua dona.

Em vez disso, ele pertencia a uma família que vivia a poucos quarteirões da residência de Maria. Nesse momento, a família Maclean foi contatada.

Eu estava pasma. Eu pensei, Rollo estava morto, ele estava morto há mais de dois anos ”, disse Sarah.

Sarah e sua família generosamente ofereceram a Maria, se ela quisesse, poderia dividia a guarda de Rollo com ela.

No entanto, a mulher rejeitou a oferta e decidiu entregar o animal aos seus verdadeiros donos. Segundo ela mesma, parecia injusto que o animal continuasse sofrendo por estar separado de sua verdadeira família, então ela decidiu desistir.

Agora, ambas as famílias exigem do salão canino uma explicação pelo grave erro que impediu Maria de compartilhar os últimos dias de Coco com sua verdadeira tutora. No entanto, o local não ofereceu nenhuma explicação ou pedido de desculpas.

Esses casos são muito raros, mas podem acontecer com qualquer pessoa.

Compartilhe esta história e alerte seus amigos sobre a importância de examinar bem seus animais de estimação depois de levá-los ao pet shop ou ao veterinário.

Fonte: Viralistas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *