Voluntários de abrigo resgatam 6 cachorrinhos que viviam amarrados em quintal semi-abandonado

Na maioria das vezes, os cães que vivem em situações de maus-tratos e negligência estão dentro de suas próprias casas, passando por situações parecidas com aqueles que vivem na rua.

Como são bastante dependentes de seus tutores, ao menor sinal de negligência, esses animais podem começar a sofrer em seu lar, seja com a falta de água fresca para beber, ração para se alimentar ou um bom banho para se manterem limpos e com a pelagem saudável.

Um caso semelhante virou notícia no início deste mês na Costa Rica, nação centro-americana, onde seis cachorrinhos foram encontrados amarrados e em situação de total abandono em uma residência no interior do país.

Leia também: Cãozinho shih tzu retorna para casa após ficar desaparecido por dois anos: ‘De volta ao lar’

O fato foi divulgado nas redes sociais da ONG ‘Humane Society International’, uma entidade que zela pelo bem-estar e cuidado a animais de estimação e selvagens mundo afora.

Por meio de um post no Instagram, a entidade contou a história dos cachorrinhos, que eles descreveram como “apavorados” após passarem por uma situação crônica de crueldade e abandono.

Leia também: Ativista resgata cachorrinho de rua diagnosticado com 2 tipos de doença do carrapato

“Os cães ficaram amarrados, dia após dia, e agora sofrem de sérios problemas dentários e infestações por pulgas”, escreveu um porta-voz da Humane Society na legenda da publicação.

Com a ajuda das autoridades locais, um grupo de voluntários resgatou os animais, dando fim ao seu sofrimento naquele lugar. Tão logo foram soltos eles receberam ração, água, banho e atendimento veterinário.

No dia seguinte, os cães foram encaminhados para um centro veterinário, onde passaram algumas semanas até receberem alta e serem disponibilizados para adoção.

Todos os seis doguinhos tiveram a sorte de se recuperar totalmente e mais: hoje já vivem em lares definitivos, onde têm sido bem-cuidados e amados por suas respectivas famílias.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *