Cadela de terapia traz conforto e sorrisos para pacientes doentes internados em hospital

Um hospital da Flórida tem uma nova ‘recruta’ de quatro patas na luta contra a pandemia de Covid-19. A cadela Buffy, de 2 anos, da raça labrador retriever é uma cadela de terapia que foi ‘recém-empregada’ na unidade e tem trazido segurança e sorrisos a pacientes internados após o diagnóstico do novo coronavírus.

De acordo com Laska Parrow, treinadora de Buffy, a cachorrinha consegue ‘farejar’ quem está com a doença. “É um cheiro distinto. A resposta do corpo quando estamos lutando contra a Covid é a reação aos cães”, explicou.

Parrow trabalha na ONG Southeastern Guide Dogs, uma instalação sem fins lucrativos de 33 acres conhecida por treinar cães gratuitamente para deficientes visuais e veteranos com transtorno pós-traumático. Buffy e três de seus amigos filhotes “falharam” no programa de treinamento de cães de serviço da Southeastern porque se distraíam com os cheiros ao redor.

Leia também: Casal de ativistas acolheu 75 cachorros de rua em sua própria casa, tratando-os como parte da família

“A detecção de Covid foi outra opção de ‘carreira’ para eles. Eles poderiam usar sua habilidade de distração para um bom propósito”, disse Parrow à Revista People.

A ideia surgiu porque o médico Bob Meade atua como membro do conselho de organizações sem fins lucrativos e é o CEO do Hospital dos Médicos de Sarasota.

“Tivemos o primeiro paciente positivo para coronavírus no estado da Flórida em fevereiro do ano passado, então quando recebi um telefonema do chefe da Southeastern no verão passado que eles estavam pensando em treinar os cães, achei que era uma ótima ideia. Acredito que estamos o único hospital no país que usa um cão farejador Covid”, diz Meade.

Os labradores têm cerca de 300 milhões de receptores olfativos em seus narizes – os humanos têm cerca de seis milhões. Ou seja, 50 vezes mais!

Parrow passou nove meses treinando Buffy para detectar cheiros diferentes até que o laboratório estivesse pronto para trabalhar com amostras de saliva Covid desativadas. No final do treinamento, Buffy e os outros cães de sua “classe” foram aproximadamente 95% eficazes na detecção de COVID-19 em um paciente positivo.

Leia também: Mulher chora de felicidade ao reencontrar cadelinha que passou dias desaparecida: ‘Fugiu de casa’

No segundo dia de Buffy no trabalho no hospital, ela mostrou suas habilidades de detecção. Depois de farejar uma convidada, Buffy se deitou aos pés de uma mulher para indicar que ela detectou Covid-19. Após o sinal do laboratório, o convidado fez um teste no pronto-socorro do hospital que deu positivo.

“É incrível. É realmente brilhante. Acho que é muito menos intimidante para as pessoas serem cheiradas por um cachorro do que ser abordadas por alguém com uma máscara vindo em sua direção. Você pode ver o estresse que sai das pessoas quando elas estão em torno dela”, diz Parrow sobre as habilidades pessoais de Buffy.

O CEO do hospital concorda. Bob ajuda no treinamento contínuo de Buffy, tanto no hospital quanto em casa. Ele adotou Buffy, e ela agora vive com sua família quando não está no hospital.

“Desativamos as amostras no freezer da garagem para mantê-la em dia”, diz Meade sobre o treinamento doméstico do cão, acrescentando que o trabalho de Buffy no hospital é mais do que apenas farejar.

“Ela se tornou nossa mascote no hospital. Todo mundo adora Buffy. É bom para os funcionários. Eles passaram por muita coisa no ano passado. Ter Buffy é uma terapia para todos nós.”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *