Família recusa a adoção de huskies que sofriam com calor de 40° sem comida ou água

Caso você esteja acompanhando as notícias do mundo, provavelmente sabe o quão confuso está as temperaturas ao redor do mundo. Tivemos manchetes de cidades no Brasil chegando em graus negativos, enquanto EUA e Canadá registravam números acima de 40 °C. huskies

Isso também aconteceu na cidade da história de resgate que trouxemos abaixo. O clima em Cedar City, Utah, tem sido excepcionalmente quente nas últimas semanas. Muitos donos de animais reconhecem os perigos que as temperaturas extremas podem representar para os cães. No entanto, uma família estava optando por ignorá-los.

Kim Phifer, un'eroina disposta a tutto per salvare i poveri cagnolini - Bigodino

Leia também: Cadela de rua acompanha corredor em maratona de 250 km no deserto e é adotada no final

Kim Phifer é uma moradora de Cedar City que notou três huskies que foram deixados de fora durante a recente onda de calor, onde as temperaturas atingiram 45 °C. Acorrentados a gaiolas de metal e assentados em concreto sem sombra, esses cães passaram vários dias sofrendo com as temperaturas altíssimas.

Vendo a situação, Kim sabia que precisava fazer algo. “Isso é ridículo, não é humano, ninguém gosta de ver isso”, disse ela à ABC 4. “Quando os vi pela primeira vez, não havia sombra, nem comida, nem água. Eles mudaram a situação e ainda é inaceitável.”

Inicialmente, a mulher conseguiu resgatar um dos cães depois de oferecer U$200 à família, pouco mais de mil reais na cotação atual. Mesmo com seus esforços, os outros dois huskies permaneceram na propriedade sofrendo de maus tratos, mas Phifer não desistia.

“Inicialmente havia três cães. Um deles estava acorrentado a uma árvore, o outro a um poste, o outro à varanda”, disse Kim.

A ativista se manteve firme ao implorar ao controle de animais e autoridades locais por ajuda, numa tentativa de buscar justiça para os huskies antes que fosse tarde demais. Suas ações desesperadas almejando ajudá-los a encontrar o amor e o abrigo que merecem pareceram, como diz o ditado, entrar por um ouvido e sair pelo outro.

Infelizmente, as leis desatualizadas e inespecíficas atrasam as tentativas de resgate de Kim. Os policiais foram à casa da família para analisar o bem-estar dos cães, mas o que encontraram não era uma violação das leis atuais de Utah.

Os estatutos do estado sobre crueldade contra animais declaram que o dono do animal de estimação deve fornecer “proteção adequada, incluindo abrigo apropriado, contra condições climáticas extremas”. Entretanto, não é especificado o que realmente constitui um abrigo adequado e adequado.

“Estou aqui apenas para salvar os cães, não quero problemas, só quero que cuidem desses cães, sabe, só quero que essas leis mudem”, suplicou a mulher.

Depois de ver fotos dos animais, o veterinário Dr. Cameron Norton concordou com Kim, dizendo que eles não estavam sendo cuidados adequadamente. “Qualquer animal ao ar livre deve ser nebulizado quando está quente ou levado para dentro de casa. Eles precisam estar na sombra e ter sombra o dia todo”, disse ele.

A última atualização do caso relatada por Kim foi no dia 16 de junho, onde contou que o segundo cachorro havia fugido de casa, mas não tinham informações de seu paradeiro.

A notícia, que já é triste, fica ainda mais angustiante se parar para pensar que isso deixou um filhote solitário ainda esperando por conforto e amor. Por isso, a ativista continua sua jornada para tentar resgatar o terceiro husky.

Infelizmente, Kim disse que ofereceu à família US$1.000, cerca de R$5100 reais, pelo terceiro cão, mas não teve sorte até agora. Além disso, os proprietários pediram que ela não os contatasse ou viesse a sua propriedade novamente.

Leia também: Gatinho é resgatado após ser encontrado com as patas feridas e congeladas na neve

As temperaturas do verão nos EUA continuam subindo, enquanto aqui no Brasil ficam cada vez mais baixas. Esteja alerta e se você perceber que algum animal pode estar em perigo, por favor contate o abrigo mais próximo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *