Cachorro paralisado por maus tratos aprende a usar cadeira de rodas e está pronto para ser adotado

É um fato incontestável que os animais doentes, que passaram por maus tratos ou idosos acabam sendo ignorados em abrigos. Mesmo que isso parta o coração de qualquer amante de animais, é a mais triste realidade ao redor do mundo.

Por conta disso, esse abrigo está fazendo uma mobilização online para que Teddy seja adotado. O pequeno viajou do Irã para os Estados Unidos pouco antes da proibição de viagens de animais de estimação do CDC (Centro de Controle e Prevenção de Doenças).

Leia também: Cadela deficiente abandonada na floresta é resgatada por aventureiro e se recupera totalmente

Teddy costumava ser capaz de andar, mas seu terrível passado de maus tratos tirou cruelmente isso. O namorado de sua antiga tutora tinha o infeliz costume de agredi-lo, o que acabou lhe rendendo uma lesão na coluna vertebral que paralisou suas patinhas traseiras.

Felizmente, a mulher decidiu entregá-lo a um abrigo no Irã, que por sua vez sabia que não poderia lhe dar as condições de vida que merece e o transferiu para o PAWS New England em Boston (EUA). Teddy teve um golpe de sorte pois pouco tempo depois o CDC proibiu a viagem de pets por risco de transmissão de raiva.

De acordo com os voluntários do abrigo, Teddy não deixa que sua paralisia o detenha. Ele é um cão feliz e cheio de energia que deseja uma família para sempre para lhe dar o amor que ele merece.

Para manter essa alegria, o PAWS New England projetou uma cadeira de rodas por meio do Walkin ‘Pets para ajudá-lo a se movimentar com mais facilidade. Ele já conseguia se mover rapidamente arrastando as pernas atrás dele, mas a cadeira de rodas o ajudou a ganhar ainda mais vida.

“Quando ele ganhou suas rodas, estava muito mais feliz. Teddy não percebe que há algo diferente nele e age como qualquer outro cachorro! Ele merece ter as mesmas oportunidades”, disse Leila Williams, mãe adotiva temporária de Teddy.

Por mais que Teddy ame sua cadeira de rodas, os especialistas em reabilitação canina estão otimistas de que um dia ele recuperará a função das pernas traseiras. Para ajudá-lo com sua mobilidade, ele ainda terá que fazer fisioterapia por 6 a 12 meses.

Felizmente, o resgate cobrirá 50% dessas despesas se ele for adotado durante esse período. Em certos casos, eles podem oferecer cobertura de 100%, mas adorariam ter o dinheiro extra para ajudar outros animais tano necessitados como Teddy.

Teddy é um cachorrinho especial que merece um lar amoroso. O resgate compartilhou uma longa e cômica descrição dele em seu site, fazendo parecer que é do ponto de vista dele. “Olá, meu nome é Teddy e sou originalmente do Irã, sim, Irã!! Longe e deixe-me dizer que foi uma longa viagem para chegar aqui”, conta.

Uma mulher simpática Yasi vem ao Irã e traz muitos de nós cachorros ‘especiais’ incríveis (não tenho certeza do que eles querem dizer com isso, presumindo que sejam inteligentes e fofos?) com ela para as pessoas nos EUA para nos ajudar”, escreveu ‘Teddy’.

“Além disso, alguns amigos meus estavam falando sobre um lugar chamado América, onde os cães recebem massagens e aconchegos ininterruptos na barriga, então decidi ir junto!”, conclui sua descrição.

Leia também: Veterinário de 92 anos passa a aposentadoria construindo cadeiras de rodas para cães deficientes

Esperamos que Teddy encontre rapidamente um lar que respeite suas necessidades especiais e nunca mais passe pela negligência que passou. Acreditamos que logo o pequeno terá um enorme quintal para correr com suas rodinhas!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *