Cãozinho jogado no lixo ganha presente surpreendente da Polícia Militar!

O pequeno e alegre Mike, um cãozinho vira-lata, que foi abandonado em um lixão na cidade de Penha/SC, teve seu destino completamente mudado após sua história ser contada para o Comandante da Companhia da Polícia Militar de Penha.

O Tenente Bruno Monteiro, Comandante da companhia, disse que a PM já estava em busca de um mascote quando Mike apareceu, há um mês.

A voluntária que resgata e atende animais abandonados, quem o encontrou no lixo. A mesma acabou sugerindo a adoção e apresentando o pequeno ao comandante.

Estávamos procurando de um mascote porque estamos trabalhando por uma política pública para os animais abandonados. Nos apresentaram a história do Mike e o levaram à companhia. Foi amor à primeira vista” – disse o Tenente Bruno.

Mike, um filhote simpático e brincalhão, rapidamente conquistou novos amigos no quartel. E não só dentro do quartel, fora dele também.

A comoção foi geral, depois da história do cãozinho ser divulgada nas redes sociais. A repercussão foi tanta que já tem até empresa voluntária se prontificando a pagar os custos de manutenção do filhote, que no início saíam do bolso dos policiais.

Em uma publicação no Facebook, a PM de Penha comentou:

UM ATO DE AMOR 🐶💛

✅ #DemonstreSeuApoioCompartilhando 😉
Ele veio do lixo. Alguém o jogou lá. Não é o objetivo deste texto dissertar acerca do tipo humano capaz de cometer tal crueldade. Combatemos diariamente este tipo.
A violência contra um ser hipossuficiente, neste caso, um animal, é matriz cognitiva para a banalização da violência contra qualquer ser vivo, crianças, mulheres, idosos, todos tornam-se vítimas daquele que é incapaz de se colocar no lugar do outro, incapaz de sentir compaixão.
A intenção deste texto é divulgar uma ação e multiplicar um sentimento. Cada soldado, cada guerreiro que, diariamente vai para a rua combater a criminalidade, o faz por amor. Amor à sua família, amor à profissão, amor à farda e tudo o que ela representa, amor à sua pátria… amor, sobretudo, amor.
HOJE ADOTAMOS UM CÃO. AQUELE MESMO, QUE FORA JOGADO NO LIXO.
Adotar é um ato de amor. Uma vida precisou de ajuda. Nós o acolhemos. E cuidaremos dele e o protegeremos até o fim de seus dias.
Cada um dos nossos que retornar de uma ocorrência será, agora, recebido por ele, com amor, com gratidão e haverá reciprocidade. Um dia embrutecido, uma rotina em que a violência e a crueldade espreitam-nos em cada esquina, agora será finalizada com suavidade, com leveza. Haverá uma bolinha a ser jogada, um pelo áspero a ser afagado, um nariz úmido farejando os coturnos, um abanar de cauda demonstrando a felicidade por nosso retorno.
Seja bem vindo pequeno guerreiro.
Desejamos que a sua vida, que a nossa história com você alcance alguns corações e que outros animais tenham a chance de levar amor e bons sentimentos às famílias que os adotarem.
Que se torne viral este ato de amor, por pessoas de bem, pelo bem das pessoas e dos animais.
AGORA PRECISAMOS ESCOLHER UM NOME PARA ELE… MANDE-NOS ABAIXO, SUGESTÕES:
⭕⭕⭕ EMERGÊNCIAS, LIGUE 190⬅️⬅️⬅️

O pequeno Mike pode acessar qualquer um dos espaços da companhia da PM. Sua caminha fica na sala do comandante, mas ele também tira suas sonecas na sala de expediente.

É tão tranquilo que não se incomoda nem quando é requisitado para posar para as fotos que fazem sucesso na internet. Um verdadeiro modelinho (quase) profissional.

O pequeno mascote já tomou todas as vacinas, e em breve deverá ser castrado. Mike está sendo avaliado pelo Tenente Monteiro, com isso será possível saber em qual tipo de atividades o filhote será escalado. A ideia é que ajude nos programas de conscientização.

Atualmente a Polícia Militar recebe uma ligação de maus-tratos, vai até o local, faz um Termo Circunstanciado, e é obrigada a deixar o animal lá, pois não tem para onde levar. “Estamos nos empenhando para mudar isso, juntamente com a prefeitura“, explica o comandante.

Com a chegada do filhote, a rotina pesada representou um sopro de suavidade e leveza, na opinião dos policiais. Para o pequeno Mike, essa foi a chance de um recomeço. Algo que a companhia traduziu em um texto cheio de amor, publicado para anunciar sua chegada:

Adotar é um ato de amor. Uma vida precisou de ajuda. Nós o acolhemos. E cuidaremos dele e o protegeremos até o fim de seus dias”.

Fonte: nsctotal

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *