Cãozinho cuida de seu amigo atropelado até a chegada do resgate!!

Um cãozinho sem raça definida foi atropelado em uma das avenidas principais do centro de Iguatu, no sul do Ceará.

O animal ferido foi acompanhado por outro cãozinho, que não saiu do seu lado, por mais de uma noite, até uma ONG chegar e resgatá-lo. Ele, junto com seu fiel amigo, estão em um lar temporário, recebendo cuidados necessários em Iguatu, no Ceará.

O acidente ocorreu no último domingo, 14/02 e a cena dos dois cãezinhos juntos, na beira de uma avenida, atraiu a atenção dos transeuntes.

Muitas pessoas já demonstraram interesse em adotá-los.

A enfermeira Marina Assunção, enfermeira que ajudou a resgatar o cão ferido, da ONG adota Iguatu, contou que as informações sobre o atropelamento chegaram por meio de um grupo do WhatsApp no ​​domingo, dia 14/02, mesmo dia do ocorrido.

Um vídeo mostrando as cenas desses dois animais  ao lado de uma árvore, às margens da avenida, foi espalhado e chamou a atenção de Marina.

Nós não conseguimos ir até o local na tarde do domingo porque estávamos sem veterinário disponível, mas na segunda-feira pela manhã recebemos notícias que ambos estavam no mesmo lugar. Fui até lá com minha amiga veterinária e o levamos para uma clínica“.

Marina disse que o cãozinho que cuidava do atropelado, ficava agressivo ao vê-las se aproximarem e não queria ninguém por perto do “amigo”, mas aos poucos ganhou sua confiança, o que tornou isso possível.

Ele ficou o tempo todo perto do cão ferido, lambia, passava as patas sobre ele como se estivesse tentando reanimá-lo. Quando colocamos o cachorrinho machucado dentro do carro, o outro já foi pulando no banco e assim ficou acompanhando até na hora do atendimento na clínica“, contou Marina. “Não temos certeza se são irmãos. Devem ter a mesma idade, entre nove meses a um ano, mas chamou a atenção a união e companheirismo demonstrados pelo outro cão para com o ferido durante todo o tempo desde a hora do acidente e a chegada na clínica e agora no lar temporário“.

De acordo com  Marina, entre terça e quarta-feira, o animal foi apresentando melhorias e conseguiu ficar em pé e andar, embora ainda com um pouco de dificuldade.

Acreditamos que não há um problema na coluna. O problema dele é neurológico, a gente fala, mas ele não olha fixo para a gente“, afirmou.

Vamos observar a evolução dele durante essa semana e, caso ele continue como está, então levaremos para uma clínica em Juazeiro do Norte, para fazer outros exames que não temos aqui, mas vamos esperar como ele reage à medicação“, concluiu.

O cãozinho está sendo medicado através de remédios injetáveis e orais, de acordo com a prescrição da veterinária, então, a partir daí será feita uma consulta, com exames especializados, que deverão apontar o diagnóstico dele.

Os dois cãezinhos, que receberam o nome de Caju e Castanha, já têm pretendentes à adoção, de acordo com Marina.

No entanto, o processo só começará depois que o animal estiver totalmente recuperado de suas feridas. Ela garante que só permitirá que os dois sejam adotados juntos.

Eles só vão para a adoção quando o ferido estiver totalmente recuperado. Quando ele estiver bem é que começaremos as entrevistas, que serão bem rigorosas. Muita gente está querendo adotar, tem até um humorista, mas será necessário esperar essa recuperação e detalhe: só permitiremos que sejam adotados juntos e analisar se realmente gosta, se não é só status e se possui espaço adequado para os dois“, explicou a enfermeira.

Graças a doações a ONG, o tratamento pode ser realizado. No caso do Caju e Castanha, o caso repercutiu bastante.

“A ONG não tem recurso de nada. Apenas doações que as pessoas doam em casos que cuidamos. Estamos recebendo muito mais ajuda nesse caso do que em outros que talvez eram até mais graves, mas que não tiveram tanta repercussão”.

Ficamos felizes em saber que o pequenino atropelado está se recuperando e que os dois terão uma família em breve!!!

Fonte: tnh1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *